quarta-feira, 29 de abril de 2009

Valmir por ele mesmo.


Tava mexendo no meu orkut e comecei a ler meu perfil, como tem gente que não tem saco pra ler perfil alheio, resolvi colocar o meu texto aqui, pois gostei dele... coloquei lá no meu orkut há algum tempo, já é meio velho, mas como se trata de mim, tá atual.
Acho que é uma breve, porém fiel, definição desse ser aqui.

Abro mão de meus interesses pra fazer coisas para outras pessoas.
Como de tudo, mas não engordo,
Não sou ciumento com meus amigos, adoro vê-los todos juntos e acabo os perdendo pra meus próprios amigos.
Detesto limpar minha casa, mas adoro te-la limpa, louça então.... vixi.
Tenho ideias maravilhosas, mas não coloco nada em prática.
Adoro conversar com quem tem algo a acrescentar.
Adoro rir.
To curtindo pra caramba estar estudando de novo.
Família? Amoooo! (tô péssimo no quesito presença, eu sei, mas tudo tem seu contexto.)
Tenho que tomar mais água.
Sou ansioso.
Pipoca. Huummmm...!!!
Me afasto de gente mal humorada (mau humor é contagioso).
Tô fazendo intensivão pra aprender a dizer “não” e tá funcionando...
Tenho necessidade de ficar sozinho e quando fico quero ter gente ao meu lado, vai entender.
Ouço músicas que a maioria não gosta e me orgulho disso.
Acredito que a distância não nos impede de amar ninguém.
Adoro ler, mas tenho preguiça de começar.
Não sou fã de enlatados americanos (filmes) pois eles divertem.. e como divertem...
Não sei o que é dor de cabeça. (a não ser de gripe)
Não tenho problema com comer algo e dizer: tal coisa não me caiu bem!
Detesto injeção.
Durmo feito uma pedra.
Amo carambola, caju, jabuticaba e manga.
Também adoro tamarindo, mas tira o esmalte dos meus dentes e fica dolorido.
Morro de saudade da minha família.
Coraçãozinho de frango.Que nojo!
Demoro muito pra tomar qualquer decisão e nem por isso tomo a mais acertada.
Desenhos, fotos, imagens me fascinam.
Amo Gorgonzola.
Prefiro vinho seco.
Meu lado infantil toma a maior parte de mim.
Minha memória não é boa.
Eu “viajo” até durante um diálogo.
Quero aprender a tocar algum instrumento musical, nem que seja triângulo.
Não sei cantar, mas canto.
Não compreendo direito depressão.
Sou tímido, mas tenho uma cara de pau que equilibra tudo.
Tenho um monstro guardado em mim, mas ele tá algemado, com mordaça e camisa de força.(Não tente entender isso, nem eu entendo!)
Não só no caso deste perfil, mas na vida, falo o que não devia e omito o que deveria ser dito.
Quem me conhece, que me compre!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Ou isto ou aquilo


Este é um livro de histórias infantis que virou CD, com narração de Paulo Autran.
Nem precisa ser criança pra gostar, afinal são textos de Cecília Meireles.
Caso alguém se interesse tenho em mp3.
Abaixo, um dos poemas que mais gosto, que com a interpretação do ator ficou demais.


A língua do nhem

Havia uma velhinha
que andava aborrecida
pois dava a sua vida
para falar com alguém.
E estava sempre em casa
a boa velhinha
resmungando sozinha:
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem...
O gato que dormia
no canto da cozinha
escutando a velhinha,
principiou também
a miar nessa língua
e se ela resmungava,
o gatinho a acompanhava:
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem...
Depois veio o cachorro
da casa da vizinha,
pato, cabra e galinha
de cá, de lá, de além,
e todos aprenderam
a falar noite e dia
naquela melodia
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem...
De modo que a velhinha
que muito padecia
por não ter companhia
nem falar com ninguém,
ficou toda contente,
pois mal a boca abria
tudo lhe respondia:
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem...

sábado, 25 de abril de 2009

Colocando os pingos nos is.

Gente, tem muitas pessoas perguntando se o que eu escrevo aqui, são coisas pela qual estou passando...
Não! Nada a ver! É tudo "variação de cabeça" são textos que eu imagino e transcrevo, nada mais. Isso não é um diário...rsrs
Abraços, beijos e apertos de mão.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Quando se deixa de ser um par.


E agora?
Que eu disse o que não queria e ouvi o que não merecia. O que fazer com as ruínas do castelo de sonhos? E com o olhar que espelha o inútil arrependimento?
E agora?
Que o eterno foi tão breve. Que o ódio tangencia de leve. Que palavras já não mudam nada. Que a mágoa desfez os nós. Que já não há mais respeito. Que tudo já está feito.
E agora que não tem mais jeito?

* Foto de Gerson Rossi

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Sa Dingding



A música chinesa está entre as mais antigas do mundo. Entre os instrumentos mais conhecidos estão as flautas, gongos, sinos e cítaras. Enquanto alguns instrumentos de caráter elitista acabavam restritos à nobreza (caso, por exemplo, da cítara Qin ou da viola Erhu), outros, como os gongos, tambores e flautas, tinham presença garantida nas festas populares e até nas cerimônias religiosas.
A maioria desses instrumentos são usados por Sa Dingding, talentosa cantora, que mistura temas tradicionais chineses e tibetanos em suas músicas e seus clipes. Ela é coreógrafa, compositora, instrumentista e canta desde criança. Tem forte influência budista e se diferencia da maioria dos cantores chineses justamente por isso, não é muito influenciada pelo estilo ocidental como a maioria que eu conheço que até canta trechos das músicas em inglês.
Sua popularidade e reconhecimento lhe valeram o prêmio BBC Award no ano passado pelo album Alive.
O site é lindo e tem mais algumas coisas pra vocês conhecerem por lá.
Tá aee... a China não exporta só esse monte de coisa que estamos acostumados, tem música de qualidade também.


http://www.sadingding.co.uk/

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Mafalda

Clic na imagem para ve-la maior.
*
Mafalda é politizada, patriota, questionadora e preocupada com os problemas e conflitos mundiais, ela vive em Buenos Aires e tem 6 anos.
Seu criador é Quino, cartunista e humorista gráfico argentino, que a deu vida em 1964 porém, ela só deu as caras aqui no Brasil em 1973 em uma época atribulada politicamente (ditadura militar), daí certamente deriva seu sucesso por aqui.
A molecada de hoje talvez não conheça muito ou nem mesmo tenha ouvido falar dessa incrível heroína das histórias em quadrinhos argentina, por isso vai aí alguns links:
*
*

Aurora

Tô com frio!
Por que é que lixeiro tem que passar de madrugada? Que barulheira!!
Como é que uma pessoa pode dormir assim? Falta de respeito com quem trabalha e acorda cedo!
“Tumulto e tiroteio em conflito entre MST e seguranças no Pará.”
Meudeus! Que judiação, esse povo sem teto.
Nossa, que frio.
Ela não me abraça mais, o que que acontece? Será que tem outro?
Não.... ela não seria capaz de uma coisa dessas, não depois desse tempo todo, mas então por que ela não me abraça?...
Vou abraçar. Não! vai achar que tô correndo atrás... mas correndo atrás de que meudeus?
Frio...
O que será que ela quis dizer com aquilo ontem? Tá com TPM só pode!
Ela sabe que não tem nada a ver...Será que tá brava ainda?
Queria ter força pra abrir os olhos e ver como ela tá, mas não consigo...
Tá sonhando com que será?
Bom, mas tenho direito de abraçar aliás, obrigação!
Por que é que eu liguei esse ventilador? Tá frio...
Hoje é o dia do pagamento? Que dia é hoje?
Meu Pai! O IPTU! Vão tomar a nossa casa desse jeito.
Essa cadela do seu Murilo é um inferno! Tá latindo por que agora?
É horário de gente trabalhar ué, a calçada não é dela, o povo passa mesmo...
“Frente fria chegando do sul do país, trás uma massa de ar frio pra todo o estado...”
Aí, tá explicado o porquê desse gelo todo.
Nossa, meu pé ta uma pedra. Vou abraçar, mas e se ela brigar porque to com o pé gelado?
É só não encostar o pé nela, vou enrolar no lençol antes. Ai, tá difícil.
Já vai despertar o celular e eu aqui passando frio.
”plim plim”
Tenho que parar de por a TV pra ligar de manhã, diz que gasta mais energia, essa coisa de stand by...
Pernilongo?!! Ah não, só faltava essa!
Não pousa em mim, não pousa....aaaai droga!
Que frio, acabou o refil?
A gente se mexe e fica mais frio ainda, dormir encolhido é pior quando tá assim, tenho que ficar esticado, aí não fica com espacinho vago entre as pernas e nas costas, o lençol pega em tudo...
Tô retinho, mas ainda tô com frio!
“Lentidão no sistema Anchieta-Imigrantes começa cedo...”
Nossa já é a Mariana Godoy, ué, eu não coloquei o celular pra despertar?
Senhor da Glória!! Tenho que levantar...
Aaaai, mais um minutinho...
Opa, opa, opa.... Aaaaaaaaaaaaai, abraçou, que delícia! Que quentinho!
“Bondiamoooor!”
Que voz rouquinha mais linda!
“Bom dia! “
“Acho que você já tá atrasado!”

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Coca-Cola

video

Coca-Cola Ad from Sunday's Big Game

Nossa! Que ódio no meu corpo!!!

Por que que a Coca-Cola é assim? Da vontade se sair correndo atrás de uma pra tomar...

quinta-feira, 16 de abril de 2009

A Grande Gaia



Quero que vocês conheçam o blog de uma talentosa fotógrafa aqui de Rio Preto, a Nathalie Gingold, ele é uma viagem pelo universo feminino, mostrando os mais variados tipos de belezas, formas, cores e composições, onde cada garota é deixada bem a vontade para se revelar, podendo ser elas mesmas ou quem bem entenderem em um simulacro particular.
Essa foto tem como "Elemento Principal" a Flávia Carvalho, minha amiga do coração.

Segue trecho de um depoimento da Flávia para o ensaio do blog e depois o endereço pra quem tiver curiosidade de ver os outros trabalhos da Nathalie.

"Quem você vai ser? Essa foi a primeira coisa que Nathalie me perguntou quando tudo estava pronto para me fotografar. Respondi prontamente que seria o Bob Marley. Um dia antes procurei em minha casa, tudo que pudesse usar como referência ao reggae, tema do ensaio. Fiz algumas bijuterias com as cores do reggae, separei meus vestidos, enfim, estava muito ansiosa. (...) Pude perceber que menti para Nathalie quando falei que queria ser Marley. Menti, pois todo o tempo queria ser eu mesma. E fui."

Magenta


A florada dos ypês, além de “encher” nossos olhos, forma um lindo tapete, que pode ser rosa, amarelo ou branco, a cor pouco importa, cada um tem uma opinião sobre qual chama mais a atenção.
Mas essa beleza não é uma particularidade dos ypês, vemos uma infinidade de beldades por aí e também na mídia, só que essas ao contrário da planta, que a cada ano surge com suas flores, indiferentes à atenção que possamos dar a elas, estas nos buscam, pedindo para que compremos, bebamos, usemos, comamos e a toda sorte de possibilidades que o dinheiro possa nos proporcionar.
A vantagem que as floridas árvores têm sobre tais beldades e também a nós, reles consumidores, mas que podemos por alguma sorte, ou azar possuir tal característica, é que elas se renovam a cada ano, aparecem com nova florada e se fazem belas novamente, já nossas esfuziantes musas são substituídas por outras, também providas de uma beleza ímpar, porém efêmera, que não se renovará no próximo ano.

*Imagem eximiamente registrada e gentilmente cedida pela Gika, aluna do 4° ano de Publicidade e Propaganda da UNILAGO. Foto feita em Tanabi, interior de São Paulo.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Catavento



Antes havia um cheiro...Tão presente que poderia ser tocado, que pairava leve num tom de um azul que é dos sonhos. Mas o que seria o cheiro comparado ao toque? Seda lisa e refrescante que se derramava.
Graciosamente
eram um.
Poderia sentir uma agradável e serena lembrança, se o catavento furtacor que espelhava a boca cor de maçã mordida a dois, sob luzes coloridas e cintilantes, agora não fosse cor de um gris desejo.
O catavento onde acalantadamente giravam, rodopia diferente. De tão ligeiro condensou as cores e agora é cor de uma névoa tão espessa que a luz já não transpõe.

Sensibilidades, peles, braços, olhos, mãos. Rubros amores, rosa.
Desejos, suores, céus da boca, línguas, ventres. Negros rancores, cinza.

Uma rolha que rolou sob o móvel há alguns dias e a fumaça dançarina que sobe do único ponto de luz visível, são derradeiras testemunhas de um peito que poderia amar, mas lá já não há mais nada capaz de tal proeza, há somente uma esponja ressequida e pálida que não pulsa a vida de outrora, mas que espera a doce, úmida, quente, gloriosa e escarlate vingança.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Duffy


Uma loira linda do Reino Unido que estourou ano passado com a música Mercy do album Rockferry, mas perguntando pra algumas pessoas do meu convívio, percebi que muitos não conheciam, então pra quem nunca ouviu falar, to deixando aqui o link do site da moça. Procurem saber e ouvir. Vai por mim!

Doe!


     Nos finais de ano os estoques ficam muito baixos devido às férias, viagens e eventuais compromissos dos doadores assíduos. Vá conhecer o Hemocentro de sua cidade. Doar não dói, renova seu sangue e uma doação pode ajudar  até 4 pessoas.
     Esse é o de Rio Preto, mas cada cidade tem um e com certeza está precisando de sua doação.
     Ajude a salvar uma vida e na saída vá à recepção e reagende sua volta.

"Tem gente que desmaia quando vê sangue, mas tem gente que morre quando não vê."


segunda-feira, 13 de abril de 2009

Florada do Flamboiant (Nova Granada, SP)


Foto de Gerson Rossi (arquivo pessoal)

Cada qual com sua experiência de vida e cada qual com suas sensaçôes diante de uma imagem.
Eu tô em êxtase.


domingo, 12 de abril de 2009

I wanna hold your hand!


Já vi terem medo de tudo nessa vida, de multidão, altura, gato, cobra, cachorro, rato, escuro, borboleta (pasmem!)...O meu maior, acho que é o da incerteza do amanhã, mas subjetividades à parte, o medo, seja lá de que ou quem provenha não está aí à toa. Com ele e por ele, evitamos muita coisas indesejáveis.
Ele não é sinônimo de covardia e sim de prudência. Já imaginou se não tivéssemos medo de dar um "fracasso no salão" por exemplo? Nossa!! O constrangimento, ou melhor o medo dele, nos salva de muitas coisas desagradáveis.
Não podemos ignorar nossas fraquezas e temores diante das peripécias que o sacizinho do destino prega na gente, pois mesmo protegidos por detrás da carapaça da prudência, estamos à mercê das probabilidades e sempre haverá o que se pode chamar de riscos.
Por mais que planejemos e calculemos alguma coisa, sempre haverá um risco e se ele for previsível melhor, se acontecer algo de ruim, podemos dizer que estávamos preparados, mas e os imprevisíveis? (leia-se também improváveis) Quanto a esses, só resta lamentar e torcer pra ninguém olhar pra você e dizer:
vendo ? Eu te disse!
Mas se não servisse pra nada a não ser dar aquela sensação de agonia e apreensão que se espalha pelas veias e gela o nosso coração, o medo ainda serviria como pretexto pra segurar a mão da comissária de bordo, aí o "Rapaz Latino Americano" que não me deixa mentir.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

E se...

Conseguíssemos fazer as coisas que queremos sem nos preocupar com o que iriam pensar, conseguíssemos comer direito, disséssemos que tanto faz.
Um dia acreditássemos no nosso potencial, entendêssemos as verdadeiras razões daquele pé na bunda.
Déssemos pulinhos pra São Longuinho, permitíssemos acreditar em todos os nossos sonhos.
Falássemos só o necessário, absorvêssemos tudo que vemos, gritássemos e corrêssemos de braços abertos e a toda velocidade até doer do lado da barriga, pagássemos tudo em dia, trocássemos aquela lâmpada, andássemos mais descalços, respondêssemos sempre: não!
Desejássemos a mulher do próximo, comêssemos uma bacia cheia de batata frita com bacon, não pegássemos os panfletos nos faróis, colássemos chicletes no banco da igreja.
(pausa)
E se eu soubesse o que o falecido Ogro queria me dizer quando me olhava quietinho abanando o toco que tinha como rabo? E se eu arrumasse um outro cachorro?
E se eu quisesse que um raio caísse em alguém agora, minha mãe não me amasse e tudo que eu tivesse agora fosse vontade?
E se eu conseguisse ver o sol nascer com toda calma e reverência que esse momento merece?
E se eu não conseguisse mais agüentar?

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Mega o quê?

Mega-Sena acumulada. Filas gigantescas nas lotéricas e eu apenas querendo pagar um boletinho de 35 reais... Claro, que a idéia de sair da pindaíba me aguça e faço uma fezinha, mas não é o mesmo sentimento que me move a entrar no bolão da empresa.
Já imaginou todo mundo não indo trabalhar nos próximos dias e só o bonito aqui chegando lá de manhã, enquanto alguns (ex) colegas de trabalho estão sobrevoando o pacífico ou torrando numa praia paradisíaca, tomando drinks coloridos, andando num Tucson, enchendo a cara de whisky importado ou mesmo preparando aquele churrascão, onde eu “talvez” participe como mero convidado? "Deusmelivreguarde"!!
Não sei se é inveja da possibilidade, medo de não fazer parte da maioria feliz ou sei lá o quê. Só sei que todo bolão eu entro.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Lã.


Ai meudeusdocéu! Que vontade que eu tô de um riozinho nessa hora, fala aí... Cachoeira, barulho de cachoeira, borboletinhas coloridas voando desengonçadamente, aquele frescorzinho de sombra, água escorrendo pelas pernas, raios de sol que entram aqui sim, aqui não, vozes e risadas incompreensíveis ao longe, gorjear de pássarinhos (gastei agora), serenidades imagináveis e “ini”, alívio.
Tem coisa Melhor?
Puts! A última vez que fiz isso foi lá no Paraná, há "tenho vergonha de falar quantos anos". Marcelo, Nilza, Dídi... Que época boa. Aqui se enquadra direitinho: eu era feliz e não sabia!
Agora tô eu aqui nessa cidade perdida no calor... Rio Preto é bom gente, mas pqp !! Que desgrama de calor é esse que faz aqui? E estamos no outono...
Tenho duas toucas lindas... o judiação!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

O samba taí...


Meu Deus, como pude ficar sem conhecer Tereza Cristina por tanto tempo?Acho vergonhoso!! Mas, ainda bem que minhas fuçadas pela internet me levaram a um clip dela e cá estou eu, apaixonado por sua voz e simpatia.Ouço o álbum que ela gravou com o Grupo Semente diretão e como sou uma pessoa de bom coração, não sou egoísta, muito pelo contrário em se tratando de cultura, e adoro espargir essas coisas, deixo aqui o endereço do site que contém vídeos, fotos e muito mais. Aproveitem! Samba da melhor qualidade.

http://www.teresacristinaesemente.com.br/

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Sopa de Dragões

Começo hoje meu blog, espaço este, onde "pretendo" falar sobre coisas que gosto, que não gosto (talvez) e de tudo que eu venha conhecer ou que me chame a atenção por algum motivo, mesmo que tosco.
Não tenho pretenção de ser culto ou passar qualquer mensagem pré-estabelecida.
Se falar um pouquinho de "minha língua" se sentirá em casa.
Uta grandão pra qualquer um, que por qualquer infortúnio caiu aqui.