terça-feira, 10 de novembro de 2009

Idolatrada. Salve? Salve?

Exemplo de falta de cidadania é o que não falta, vemos todos os dias.

Hoje numa esquina da Av. Bady Bassitt flagrei um senhor em um carro até bacana jogando um maço de cigarros no chão. Olhei bem pra cara dele, olhei pro maço no chão e pensei como um senhor daquela idade, com filhos, netos quem sabe, que deveria ser um exemplo, é capaz de coisas desse tipo. É, ver a Bady e a Andaló inundar e arrastar carros e pessoas é uma coisa bem interessante mesmo...Legal que passa até no Jornal Nacional né? A gente vira notícia!! Olha, que orgulho!!

Tem um outro senhorzinho que todo dia de manhã pega sua vassoura e varre a frente do seu estabelecimento na Av. Cenobelino, é o barzinho com a frente mais bem cuidada que eu já vi, um primor, tudo limpinho, até aí tudo bem. Via isso todos os dias, até que certa manhã perdi a hora, estava super atrasado pro trampo e vi o desfecho da limpeza: Tudo pro bueiro, não importando o que fosse: folhas, pau, pedra, o fim do caminho, o escambal. Tudo.

Lá se foi a imagem bonita que tinha do senhorzinho e seu bar.

“Enquanto isso no Congresso Nacional”

Nossa, ali os exemplos são os mais deliciosos, mas isso não compete a mim. Pois também engrosso o roll dos alheios às falcatruas. Porém, a culpa de tantas "abstrações" é de quem?

Deles que estão com a faca e queijo na mão e com todas as possibilidades escancaradas para se dar bem ou do meu voto?

E assim vamos seguindo nossas vidas alheios e alienados. O que esperar de uma nação que tem cidadãos que não sabem votar? Claro que não estou me referindo a apertar as teclinhas da urna eletrônica, nosso orgulho nacional e sim no fato de colocar no poder quem já foi tantas e tantas vezes denunciado e mesmo assim, eleição após eleição: olha os bonitos no poder de novo.

Já que aqui no Brasil político é “profissão”, deveria haver concurso público e não eleições pra se escolher alguém pra ocupar um cargo desses. Imagina os anúncios: "Cursinho para concurso púbico para político. Venha ser um vencedor em uma das carreiras mais promissoras do mercado!!"

Mas enfim, já que não da pra consertar, dá pra pelo menos sair bonito na foto.

Vamos (quem não sabe) aprender a cantar o Hino Nacional ou apenas ouvir essa belíssima obra de Francisco Manuel da Silva e Joaquim Osório Duque Estrada.

Regrinhas. (Wikipedia)

De acordo com o Capítulo V da Lei 5.700 (01/09/1971), que trata dos símbolos nacionais, durante a execução do Hino Nacional, todos devem tomar atitude de respeito, de pé e em silêncio. Civis do sexo masculino com a cabeça descoberta e os militares em continência, segundo os regulamentos das respectivas corporações. Além disso, é vedada qualquer outra forma de saudação (gestual ou vocal como, por exemplo, aplausos, gritos de ordem ou manifestações ostensivas do gênero, sendo estas desrespeitosas ou não).

Segundo a Seção II da mesma lei, execuções simplesmente instrumentais devem ser tocadas sem repetição e execuções vocais devem sempre apresentar as duas partes do poema cantadas em uníssono. Portanto, em caso de execução instrumental prevista no cerimonial, não se deve acompanhar a execução cantando, deve-se manter, conforme descrito acima, silêncio.


video


2 comentários:

  1. Aqui onde moro é lugar turístico.Portanto,visitantes constantemente passam por aqui deixando seus elogios quanto a beleza do lugar,aos encantos do "Velho Chico",porém,alguns quando partem,deixam algo mais!O que é uma pena!São pessoas de condição financeira considerada boa.Mas que não exitam em demostrar pouca educação ecológica.Meu querido,não é só em cidades grandes que isso acontece.Pessoas sem consciência,estão por toda parte.

    ResponderExcluir
  2. Grande Valmir,

    pior, meu velho, é que além de cantar o hino, junto com o toca-CD ou com a banda, neguinho ainda dança! Já vi gente soltando o brado retumbante e sapateando às margens plácidas.
    Valeu pelos seus escritos! Grande sacada.
    Abração,
    Alaor Ignácio

    ResponderExcluir